Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

CU VIRGEM NO PUTEIRO

Desde de que conheço como gente, frequento puteiros, boates e áreas de prostituição de rua, e é certo que não existe virgem na zona. Numa tarde fui a um puteiro na região do Brooklin e fiquei impressionado com a beleza de uma garota chamada Márcia (nome de guerra, é claro): loira, 1,60m, seios grandes, bunda grande, cintura fina, corpo violão, longe de ser gordinha e zero celulite. Além de gostosa era muito bonita de rosto. Queria comer aquela bundinha mas ela disse que nunca fez anal. Insisti muito, aproveitando que não havia mais nenhum cliente na casa e ela deu aquela esquivada típica: "A gente tenta mas se doer você pára". Esta resposta significava duas coisas: ou ela fingiria sentir muita dor assim que eu encostasse o pau na argola e desistiria do anal ou ela daria o cu fingindo que eu era o primeiro. Em ambos os casos eu iria morrer com a gratificação extra pelo sexo anal, quase dobrando o preço do programa que já era caro. Topei na esperança da segunda hipátese. No quarto pude admirar melhor seu corpo. Seus mamilos eram grandes e rosados, sua xoxota era quase totalmente depilado restando um tufinho de pelos loiros bem aparados. A marca do biquini era visível apesar dela ser bem branquinha. Banho tomado e pelados na cama fiz o que eu mais gosto: lamber tudo. Comecei pelo pescoço, orelha, ombros. Deliciei-me nos peitões. Chupei aqueles mamilos rosados como um bezerro faminto. Beijei sua barriguinha firme e desci a língua para sua virilha. Chupei sua xoxota rosada e senti o sabor do mel que escorria. Lambi seu grelo ouvindo gemidos. Enfiei a ponta do dedo no seu cuzinho para sentir o terreno e vi que era bem apertado. Ela apenas reclamou que era esquisito. Continuei lambendo o grelo e o mel escorria da buça para o rego lubrificando mais ainda o cuzinho e com os movimentos do quadril foi ela que forçou meu dedo cu adentro. Reclamou que doia um pouco mas não pediu para tirar. De repente ela começou a urrar alto e retesou os músculos das pernas fechando as coxas e espremendo minha cabeça. Forçando a bunda para baixo meu dedo inteiro ser engolido pelo seu cuzinho apertado. Ela gozou com espasmos. Quem acha que puta não goza é porque apenas mete a pica, goza e vai embora sem fazer nenhum carinho. Ofegante ela pediu um tempo para se recuperar. Assim que recuperou o fôlego começou a chupar meu cacete que latejava de tão duro. Pedi para ela vir por cima para fazer um 69 pois queria olhar direito seu cuzinho. Lindo, rosado, cheio de preguinhas. Parecia virgem ou pouquíssimo usado. Consegui enfiar a lingua naquela formosura. Cansei de me esticar e comecei a lamber a xoxota e o grelo. Em minutos senti que ela ora chupara muito forte, ora apertava meu pau nos lábios, então ela segurou firme meu pau e gozou urrando e tremendo. Ela caiu de lado ofegante e eu encapei o cacete. Deitei por cima dela e enfiei de uma vez o pau em sua xoxota. Ela estava tão melada que o pau deslizou para dentro sem atrito algum. Ela sorriu e me abraçou. Abriu mais as pernas e levantou os joelhos para facilitar a penetração. Beijei sua boca gostosa e sentia que ela estava gostando (que mulher não gosta de levar rola apás gozar duas vezes na chupada?). Meti por alguns minutos e pedi para ela ficar de quatro. Ela ficou de quatro e olhava para trás. Meti na sua boceta e estocava forte puxando-a pelos quadris. Ela gemia e rebolava um pouco. Diminui o ritmo para não gozar e coloquei o dedo no seu cuzinho. Fui carinhoso e apenas enfiei a ponta. Márcia falou que estava tão bom que até pensou que eu hava esquecido. Disse que era impossível esquecer daquela bunda. Tirei o pau da xoxota e cai de boca naquela bunda perfeita. Lambi e babei muito naquele cuzinho delicado. Deitei-a de bruços com dois travesseiros sob o quadril, cuspi no cacete para lubrificá-lo e encaixei-o na argola. Fiz uma pressãozinha e ela reclamou de dor. Esperei um pouco e voltei a forçar. A cabeça entrou e ela pediu para parar pois doia muito. Perguntei se era para tirar e ela meneou a cabeça. Um minutinho depois ela falou para continuar. Forcei mais um pouco, com calma e cuidado, e consegui enfiar tudo naquele cu apertado. Ela estava ofegante e suava frio, mas não tirou da reta e apenas pedia cuidado e devagar. Esperei ela se acostumar com o invasor anal e logo ela pediu para eu mexer. Passei a meter mais rápido mas atento a qualquer reclamação. Ela, aos poucos foi se soltando e levantou o corpo ficando de quatro. Ela começou a gemer e mandar eu comer seu cu virgem, dizia que eu estava arrombando seu cu, que eu estava tirando a virgindade do cu dela. Ela falava um monte de coisas para me excitar e rebolava demonstrando que estava adorando a enrabada. Peguei seus seios e fiz ela levantar o corpo ficando de joelhos. Ela virou a cabeça e nos beijamos. Nesta posição eu podia apertar seus seios e bolinar sua xoxota sem dificuldade enquanto ela controlava a penetração. Ela rebolava e sentava fundo enquanto eu dedilhava seu grelo saliente. Ela passou a forçar a bunda para baixo fazendo entrar até o talo e fazer movimentos curtos. Da sua garganta saiu um gemido meio gritado e seu cu começou a piscar. Acelerei a siririca e ela fechou as pernas e teve espasmos que travavam seu cu apertado. Pensei que ia guilhotinar meu cacete mas logo ela se soltou e ficou parada ofegante. Falou que nunca gozara daquele jeito e pediu para eu gozar logo pois seu cu ardia. Pedi para ela fazer uma espanhola e ela topou. Sentei na beira da cama e ela ficou ajoelhada no chão. Chupou e babou muito no cacete e colocou-o entre os seios. Espremeu os melões e começou a subir e descer. Foi extremamente excitante ver a cabeça do pau sumir e surgir entre aqueles melões macios. Ela ainda dava lambidas na cabeça. Estava demais de bom. Senti que estva para gozar e pedi um boquete. Ela chupou a cabeça enquanto punhetava o resto. Gozei em jatos fartos. Ela recebeu tudo na boca até eu esvaziar o saco e foi para o banheiro cuspir. Riu dizendo que ficou com a boca cheia. Tomei banho, me vesti, paguei e fui embora satisfeito com uma das melhores trepadas que tive. Mais de ano se passou e encontrei Márcia em outro puteiro, também no Brooklin. Ela estava mais cheinha, mais gostosa, mais bonita. Ela não me reconheceu. Combinamos o programa e ela foi enfática que dizendo que não fazia anal por dinheiro algum porque não gostava. Na escada a caminho do quarto ela parou e olhou para minha cara. então disse: _"Foi você que tirou a virgindade do meu cu. Sabe que depois de você eu dei sá dei a bunda pra um cliente que tinha o pau bem menor que o seu e mesmo assim ele me machucou. Saiu até sangue e fiquei dois dias sem sentar direito. Depois disso prometi que nunca mais deixaria ninguém meter atrás". Falei que ele não fez a coisa direito, aliás, fez tudo errado. No quarto repeti tudo que havia feito no programa anterior e terminei comendo seu cuzinho apertado. Saí de lá acreditando que fui eu quem tirou sua virgindade anal porque ela, além de se lembrar de mim, não cobrou o adicional pelo anal e ainda me deu seu telefone para a sair quando ela não estiver trabalhando. Tive a oportunidade de comer aquela gata algumas vezes, sem pagar para ela (gastei com danceteria, restaurante, motel, gastos normais) e ver ela ficar de quatro, separar as nádegas com as mãos e pedir para eu meter e arrombar seu cuzinho que era sá meu. Pena que ela sumiu.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


comi na pista de skate contpcontos de cú de irmà da igrejaSou gay e tranzei com um travest contos eroticoPorno tentei dar meu cu depois de casado contosconto na fazenda o dono comendo a filha da empregada a força ler história reais.Contos eroticos de incesto gemeas e o irmao roludocontos eroticos homem casado dando para o primohistória verdadeira de sexo entre homens bi sexual no banheiro metrô trem ônibusgarotinhos comeram esposa contos eróticos traiçõescontos etoticos gordas maduras baixinhas 1,50 mtconto minha mulher gosta quando levo ela nas festinhasfui toma banho na casa da tia eu confesoputão na vara contosnovos contos eróticos mulheres encinando seus cachorros a cheirar e laber suas bucetasexperimentando a bundinha da garotinha conto gratiscoroa cadela contosa minha prima rabuda me deu seu cu conto eróticosmua mulhes supano amiga abuseta pigano galadeixei meu vizinho me desvirginar contosfoi da aboceta vije e a rombosou novinha a timo porra contosContos dei o cuzinho para a travesti fabiola voguelContos rasga o cu filhinhaconto erotico sou casada safada adoro andar com fiosinho e rebolando no meu trabalho adoro fudercontos porno papai me deixou arnbadacontos lixeiro arrombou meu cuzinhoconto erotico arrombada na florestamandei minha namorada dar pra outro conto eroticocontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaconto o borracheiro fudei minha esposabontos comecei dar o cu na infancia no terrenoCasada viajando contosbanho acompanhado contos eróticosconto erotico patrao pauzudo do marido comeu eu e minha filhagabriel o hetero proibido conto eroticos gayporno chupei o peito e bucheta da minha cunhada ate ela cederadoro uma calcinha fio dental e shortinho curtinho afeminAdo contoscontoseroticosrolaconto virei lesbica na cadeiaincentivanda pelo marido contos pornoContos eróticos incesto teens tomando banho com meu paidepois de casado entrei na piroca grossa e viciei contoshomens apanhados a pila na maoconto erotico caronacontos eroticos o ventocontos a mulher casada aiiiiiiiiiiii meu cuuu ai vou fala para meu maridocontos erótico ginecoligista e novinhacontos mem tinha peitinho dava cusinhoEla não queria dar cuzinho Conto eroticotia de saia safada contocontos eroticos banho meninoEu roberto o cachorro conto erotico gaycontos eroticos trai meu marido na locadora de videoContos eroticos dinheirotravesti imgole pora de cavalocontos eroticos incesto gay novinho tv a cabofudendo a boca da namorada/contos eróticoscontos eróticos comendo grama grávidaContos eroticos Japonesinhacontos de coroa com novinhocontos eroticos negao comeu casalconto erotico meu marido mim ensinano dpContos meu sogro arrombou minha bundaRelatos eroticos de professoras casadas brancas que foram usadas por alunos negroscontos com fotos esposas com a buceta cheia de porra de negrosmeu chefe contos eróticoconto erotico gay: meu amigo japa dotado rasgou meu cuamiguinhos professora contos eróticoscontos eroticos adoro usar calcinhanoivo e noivas na lua de mel comprido e desejo de fatazia travesticonto erotico viadem com minha filha